Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezoito e quarenta

SEASON - O RESTAURANTE QUE ME ENTENDE

13.11.18

DSC06117.jpg

2.jpg

Se há dualidade que vive em mim é a de precisar tanto de cidade assim como preciso de campo. A minha energia é igual a de uma cidade que não se cala, que não pára quieta e que nos surpreende constantemente. Eu preciso de Lisboa todos os dias para ser feliz. Mas se por um lado só me faz sentido viver com cidade, por outro lado tenho plena consciência que só o consigo viver de uma forma equilibrada e sã, se a minha casa for uma casa de campo. A estrada da minha rua é de terra batida. De manhã quando saio (rumo à cidade) vejo rebanhos de ovelhas e ainda me cruzo com padeiro que deixa o pão fresco pendurado nas portas. Haverá dualidade melhor que esta? Eu acho que não e parece que o Season me entende. 

 

O Season é o novo restaurante de São Bento, e o seu grande objectivo é o de trazer para a cidade o melhor que o campo pode ter. E, claro, só conseguimos o melhor do campo se respeitarmos a sua sazonalidade. É por esse motivo que a carta do Season vai mudando, sempre que necessário, para respeitar todas as mudanças de estação e privilegiar os ingredientes de época.  

DSC06102.jpg

DSC06106.jpg

DSC06107.jpg

A carta é curta mas não se enganem, a escolha não se torna mais fácil por isso! Todos os pratos abrem o apetite e, pelo menos para mim e para o João, foi super difícil elegermos os três pratos e a sobremesa que queríamos provar. Três pratos porque as doses são pequenas e para partilhar, mais um conceito do Season que eu tanto adoro. 

 

Depois de uma escolha demorada, vieram para a mesa o bacalhau com polenta e escabeche de courgette e grão sarraceno, os croquetes de borrego com molho gribiche e também o risotto de abóbora com bochecha de porco estufada a baixa temperatura. Os pratos foram apresentados por esta ordem e não podia ter sido melhor: se a refeição começou muito bem com o bacalhau, os croquetes só a vieram melhorar, deixando a cabo do risotto a responsabilidade de elevá-lo à categoria de uma das melhores refeições de sempre. A sério, há muito tempo que não comia tão bem! 

DSC06111.jpgDSC06113.jpg

Para terminar, pedimos como sobremesa os profiteroles de creme de avelã, que também não desiludiram. A massa estaladiça q.b. e o creme de avelã cremoso e com um sabor intenso ao fruto seco. 

 

É pelo conceito incrível, pela apresentação lindíssima dos pratos, pela comida maravilhosa, pelo espaço acolhedor e pela decoração magnífica, que o Season é para mim um restaurante que merece cada estrelinha. Season, és tu que me entendes.

 

Como apontamentos lembrem-se destes:

 

De comer e chorar por mais: O risotto de abóbora com bochecha de porco

A cereja no topo do bolo: A decoração

De torcer o nariz: O fato de só haver um Season conta?

 

Season Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

BROWNIE DE BATATA DOCE

05.11.18

DSC05421.jpg

Há muita coisa que combina bem com um feriado e a minha casa, por exemplo, é uma delas. Na quinta feira passada, o meu sofá, as minhas mantas e almofadas, a netflix, o meu pijama quentinho e este brownie de batata doce deram-me um maravilhoso dia de descanso.

Sei que ainda vamos ter que esperar um bocadinho por novos feriados mas juro-vos que este brownie de batata doce vale a pena em qualquer dia da semana. Vão por mim, ele é tudo de bom. 

 

DSC05417.jpgIngredientes

240gr de batata doce cozida sem pele

160gr de farinha de amêndoa

120gr de chocolate negro

60gr de manteiga com flor de sal

200gr de açucar mascavado (ou açucar de côco)

4 ovos

2 colheres de sopa de cacau

 

Preparação

Começar por esmigalhar a batata doce grosseiramente com um garfo. De seguida, numa peça taça, derreter o chocolate juntamente com a manteiga. Depois, numa taça grande, bater os quatro ovos e juntar progressivamente os restantes ingredientes: a batata doce, o chocolate e a manteiga, o açúcar, as duas colheres de sopa de cacau e, finalmente, a farinha de amêndoa. Mexer continuamente o preparado até a mistura ficar homogénea. Numa forma previamente untada, levar ao forno à temperatura de 180 graus, cerca de 40 a 50 minutos. 

 

Já andei a espreitar as previsões para o fim de semana, e suspeitam que a chuva vai ser uma constante. Parece-me que têm aqui a desculpa perfeita para experimentarem esta receita. Se o fizerem, depois partilham tudo comigo? Fico à espera. 

10 COISAS SOBRE MIM - ESPECIAL OUTONO/INVERNO

02.11.18

DSC02704-2.jpg

Na sequência deste post, e do vosso feedback tão querido, resolvi trazer-vos mais 10 coisas sobre mim. No entanto, desta vez, inspirada pelos últimos dias de frio que temos tido, tentei que as 10 coisas fossem todas relacionadas com as estações mais frias que finalmente parecem estar a chegar. Vamos a isto? 

 

1. A minha estação favorita é o Outono 

Tinha que começar por aqui, não é verdade? O Outono é a minha estação favorita! Logo a seguir, gosto do Inverno, depois da Primavera e só por último o Verão. É verdade, apesar de ter nascido em Agosto, em pleno Verão, eu sou muito mais do frio, da chuva, das cores do Outono e das atividades e festividades dos meses mais frios. Sim, eu sou (das poucas) que faz a contagem de crescente para os dias frios voltarem. 

 

2. Sou apaixonada por lareiras 

Desde sempre que amo lareiras. Para mim, não há elemento mais bonito, acolhedor e reconfortante do que uma bonita lareira. Aqui em casa, ainda não temos nenhuma mas o plano é, não só passar a ter uma na sala, como também sonho concretizar o sonho de construir uma no quarto. 

 

3. Adoro chuva

E adoro mesmo! Tanto gosto de a ouvir quando estou enrolada numa manta no sofá ou debaixo dos lençois na hora de dormir (disto, regra geral, todos nós gostamos) como de a ver e a ouvir numa viagem de carro, sendo que não dispenso o ritual de vestir uma boa gabardine e dar um belo passeio para sentir a chuva a cair. 

 

4. Amo o cheiro das castanhas assadas na rua 

Em 2012, durante o meu interail, cruzei-me com um casal de velhotes australianos na estação de comboios de Liubliana. Dividimos o banco da estação durante uma meia hora e quando lhes contei que morava em Lisboa os olhos da senhora brilharam. Confessou-me, de imediato, que tinha estado em Lisboa há muitos anos mas que nunca se esquecera da luz da nossa cidade e do cheiro a castanhas no ar. Bonito não acham? Eu concordo muito com ela, não há combinação melhor do que Lisboa com o cheiro das castanhas assadas.

 

5. Os meus meses favoritos são Setembro e Dezembro (e um dia em Agosto)

Adoro recomeços. Gosto da sensação de página em branco, de um mundo de novas oportunidades e experiências. E é extamente essa a sensação que tenho quando chega Setembro ou Dezembro. Setembro porque, apesar de já não estar a estudar, este mês estara sempre ligado a um novo ciclo, a uma nova etapa. Serei a única a não estudar e sentir isto na mesma? E Dezembro, porque traz consigo a necessidade de fazer um balanço do ano que se fecha e de se traçar novas metas para o ano que vai começar. Por fim, e apesar de não gostar nada de Agosto, o dia 10 deste mês será sempre o melhor dia do ano. Afinal eu faço anos e lá está, nesse dia, inicia-se sempre uma nova página em branco, pelo menos para mim. 

 

6. Não consigo dormir de meias

É verdade, nem mesmo no pico do Inverno eu consigo dormir de meias. Eu entro na cama de meias nos pés mas depois de me sentir mais quente e estar finalmente pronta para adormecer, eu tenho que as tirar. Não sei muito bem explicar isto mas acho que não gosto de sentir os pés presos. Desse lado, alguém está comigo? 

 

7. Sou uma pessoa norturna

Não há volta a dar. Eu sou realmente uma pessoa muito mais produtiva e assertiva depois do almoço e em especial quando chega a noite. É invarialemente de noite, quando o silêncio se faz notar que o meu cerebro começa a funcionar melhor. Por este motivo, a chegada dos dias mais curtos não representa, ao contrário da maioria das pessoas, uma depressão para mim. Antes pelo contrário! É precisamente nos dias mais escuros que me sinto com mais tempo e que os dias me rendem mais. 

 

8. Sou uma pessoa caseira

Quase todos os meus programas favoritos passam por ficar em casa. Por exemplo, passar um fim de semana inteirinho em casa sempre foi um coisa super comum na minha familia. E não, não é de todo uma seca porque não é sinónimo de não fazer absolutamente nada. Posso fazer-vos uma lista infinita dos meus programas favoritos caseiros, querem? 

 

9. Estou sempre melhor com mais uma almofada, um edredon e uma manta

Sabem aquela criança que acorda a meio da noite, agarra-se à almofada e à mantinha e vai a deambular para a cama dos pais? Eu fui essa criança| Aquela que nunca foi sozinha para a cama dos pais e que sempre adicionou mantas e almofadas à equação. E, ainda hoje, continua a ser assim, é muito frequente acordar e transportar metade da roupa da cama para o sofá, mesmo que este já tenha por si só as suas 10 almofadas, 3 mantas e um edredon. 

 

10. Gosto de trovoadas

Tenho muito respeito pela natureza, confesso-vos inclusivamente, que cada vez mais os fenomemos naturais me assustam, me metem medo. Andamos a tratar muito mal o nosso planeta e às vezes parece que ele se zanga mesmo connosco, não concordam? Por outro lado, nunca tive medo das trovoadas, acho até que o céu se enche de vida e fica muito bonito. Além disso, o som da trovoada, ao contrário do que se podia esperar, acalma-me. Nos momentos de trovoada, todos os meus problemas me parecem mínimos, ora não fosse o som da natureza tão poderoso que nos faz relativizar quase tudo.  

 

E agora, depois de saberem mais estas 10 coisas sobre mim, ficou mais fácil perceber o meu amor pelas estações mais frias? E por aí, são adeptos das estações quentes ou também preferem o frio?