Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezoito e quarenta

O BRUNCH DO CAFÉ JANIS

21.09.18

DSC05761.jpg

A primeira vez que passei a porta número 1 na Rua da Moeda, foi para descobrir a La Crêparie da Ribeira. Desde esse dia até ao seu inesperado fecho fui uma cliente assídua, tornando-o o meu espaço parisiense favorito na cidade. Depois da Crêparia, as portas daquele pequeno espaço voltaram a abrir para receber o Hansi com as suas salsichas austríacas, e apesar de também ter gostado muito do restaurante, confesso que nunca me fez esquecer o espaço anterior. 

Foi por isso mesmo que fiquei super entusiasmada quando percebi que o fecho do então Hansi, daria lugar a abertura do Café Janis, um café que prometia trazer novamente o ambiente parisiense que tanto associo aquele lugar. E assim como prometeram, também cumpriram. Forrado de plantas, com várias pequenas mesas de marmore e uma esplanada virada totalmente para a rua, é impossível não associarmos o Café Janis a uma das ruas da capital Francesa.

DSC05749.jpg

Dado que a minha primeira visita ao espaço calhou numa manhã de sábado, a escolha revelou-se óbvia, não fosse eu uma fã incondicional de um bom brunch. No Café Janis este é composto por uma bebida quente à escolha, uma de três bebidas frias - sumo de laranja, mimosa ou bloody mary -, e um de quatro pratos a escolha, e para finalizar somos ainda convidados a escolher entre o Banana Bread com mascarpone de expresso ou um iogurte com granola, fruta, sementes de chia e mel. 

DSC05755.jpg

DSC05757.jpg

DSC05766.jpg

Se o sumo de laranja e o banana bread foram decisões imediatas, a escolha do prato revelou-se tão dificil que dos quatros pratos disponiveis no menu de brunch, três acabaram por vir parar a nossa mesa: O full hearty breakfast um prato muito bem servido com ovos mexidos, espinafres, halloumi grelhado, presunto parma e tomates cerejas assados (também traz cogumelos mas nós pedimos para retirar já que eu sou alérgica). A Avo Tost, uma belissima tosta de abacate com tomates cereja assados, ervas frescas, chill e um ovo escalfado. E por fim, o Janis Special Bun, um pão adocicado com espinafres, pepino, molho janis, ovo frito, queijo emmental, agrião fresco, pickles, e pancetta grelhada. 

Nenhum dos pratos desiludiu mas foram os últimos dois que mais me ficaram na memória. A tosta de abacate por ser muito bem servida e equilibrada e o Janis Special Bun por conseguir unir todos os ingredientes na perfeição. Porém e ainda que tenha adorado tudo, foi o banana bread que ganhou um espaço muito especial no meu coração! Que bom maravilhoso: húmido, com um sabor intenso e que combina na perfeição com o mascarpone de espresso. 

O brunch tem um valor de 18€ e não só pela qualidade dos produtos, como pelo espaço e pela simpátia no atendimento, eu acho que vale cada cêntimo. Não só pelo maravilhoso brunch, mas por me devolver o meu cantinho parisiense, aqui fica o meu agradecimento ao Café Janis e a promesa que voltarei muitas e muitas vezes. 

DSC05759.jpg

DSC05752.jpg

Como apontamentos lembrem-se destes:

 

De comer e chorar por mais: Banana Bread com mascarpone de café

A cereja no topo do bolo: A decoração que em segundos nós coloca numa qualquer rua de Paris

De torcer o nariz: É válido torcer o nariz aos muitos turistas?

 

Café Janis Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

OS NOSSOS VOTOS DE CASAMENTO

06.09.18

20150906-358.jpg

Hoje, fazemos 3 anos de casamento. Hoje, em jeito de comemoração, deixo-vos com os nossos votos de casamento. 


Votos do João:

Ana, 

Quem se tenha cruzado mais do que cinco minutos contigo sabe que gostas de fazer muitas perguntas. De todas elas, há uma que se destaca das outras e que me foi inúmeras vezes repetida durante todos estes anos em que estivemos juntos. Para dizer a verdade são duas. Não há uma pergunta sem a outra. A primeira questão é de resposta fácil e directa mas é também um pronuncio do que me espera a seguir. E é assim que o ritual se inicia, com um imprevisível "gostas de mim?" ao que respondo confiantemente com um sim. Mas só no instante seguinte me apercebo da tarefa que aí vem e da provação que vou ter que enfrentar. Isto porque, logo a seguir tu, sem dó nem piedade, completas a primeira questão com um "porquê?". E há inevitavelmente um compasso de espera e uma dúvida que paira sobre mim... Mas porque raio é que eu gosto de ti, ao certo? 

À mesma pergunta, tu tens-te safado com um "porque sim", porque sempre foste mais esperta do que eu. Eu não! Como homem de razão que sou procuro sempre corajosamente uma resposta para tão traiçoeira questão. Mas a verdade é que me apanhas sempre desprevenido, e nunca, mas nunca, tenho um discurso preparado. 

Felizmente, gosto de ti por muita coisa e por isso a pergunta nunca ficou sem resposta. Mas parece sempre pouco. Nunca fico totalmente satisfeito com a resposta, e tu pelos vistos, também não porque no dia seguinte lá apareces tu a perguntar o mesmo. 

E por isso decidi que seria hoje! Hoje, parece-me o dia ideal para te responder como deve de ser ao teu "porquê". Preparada?  

 

Olha, para começar, gosto de ti porque és a única noiva do mundo que fica calma e serena quando a duas semanas do casamento o noivo se lembra de ficar coxo, deixando milhentas coisas por fazer. 

- Gosto de ti porque me deixas praticar o meu desporto favorito que é melgar-te, e o levas, na maior parte das vezes, na desportiva. 

- Gosto de ti, porque envelhecer me parece algo triste e enfadonho mas ao teu lado parece um bocadinho melhor. Isto porque não me consigo fartar de ti! Não me canso de falar e de te ouvir (e olhem que ela fala muito). Não me canso das nossas rotinas que não existem e das regras que nunca cumprimos. Não me canso, simplesmente não me canso! E disso só tu te podes gabar. 

- Gosto de ti, porque és o meu porto de abrigo nos bons e nos maus dias, nos meus sucessos e nos meus fracassos, nos meus saltos e, como é óbvio, nos meus trambolhões. É no teu colo que riu e choro todos os dias, são os teus olhos que me acalmam e que me convencem que tudo vai correr pelo melhor, é o teu riso aquele que mais me satisfaz. 

- Gosto de ti, porque somos o oposto um do outro e ambos aprendemos diariamente com as nossas diferenças. Adoro ver o mundo pelos teus olhos, adoro que me abras horizontes. Sei que hoje sou um homem melhor do que aquele que conheceste no primeiro dia, enquanto comias um kebab, melhor do que aquele que te agarro pela primeira vez e mesmo melhor do aquele que te convenceu a estar aqui hoje. Admiro a tua coragem e o teu sentido de justiça e invejo as tuas certezas e a tua força de vontade. E quero tudo isso na minha vida! 

- Gosto de ti, porque sei que é contigo que quero crescer ainda mais e é ao teu lado que quero acordar e adormecer todos os dias. É contigo que quero vaguear, fazer quilómetros, sentir o mundo. É contigo que quero o Vicente e a Constança e até, quem sabe, outros nomes caninos (Salvador!) ou pior. É contigo que os quero ver crescer e viver, pelo menos, algo tão bom como aquilo que temos. Quero vê-los ser felizes. Quero tudo, mas quero tudo ao teu lado. 

E pronto, já está! Agora já sabes porque gosto de ti, porque te amo e porque te quero sempre, e para sempre ao meu lado. Pela tua cara, sei que, por agora, estás satisfeita. Mas também sei que amanhã vais questionar tudo de novo. E eu vou-me rir, respirar, responder e desejar secretamente que nunca mo deixes de perguntar!

20150906-370.jpg

Os meus Votos: 

 

João, 

Deixa-me aproveitar este momento para te responder a uma pergunta que recorrentemente me colocas e à qual eu nunca respondi verdadeiramente. Perguntas-me muitas vezes, ainda que nem um décimo das vezes que te pergunto a ti é certo, porque que é que eu gosto de ti. 

"Porque sim". É sempre a minha resposta. Simples, rápida, fácil... Sem me dar muito trabalho.

E não é de todo mentira...mas esta é a minha resposta simplesmente porque sei que aquilo vês quando te olhas ao espelho, não é nada daquilo que eu consigo e sei ver quando te olho.

Aprendi a ler-te, depois a sentir-te. Mais tarde reconheci que já era capaz de te ouvir no teu silêncio. E tão ao mesmo tempo percebi que compreendias, aceitavas e respeitavas todo o meu barulho. Entregaste-me o teu silêncio, assim como eu te entreguei o meu barulho. Fomos a escolha um do outro! Sussurrei-te baixinho: "agarra-me que eu estou a agarrar-te". 

Deixa-me que te diga que nunca havia conhecido um pessoa tão inteligente, forte e capaz como tu. Nunca me havia sentido tão abençoada e querida. Nunca me havia sentido tão completa, segura e tranquila. Mas sobretudo, nunca havia conhecido uma pessoa tão integra como tu. Amo-te muito, mas respeito-te, admiro-te e orgulho-me ainda mais de ti. 

Tu não sabes, mas tu és sempre capaz! És sempre mais e melhor. Tu não sabes, mas tu dás sempre mais do que aquilo que recebes. Tu não sabes, mas não só para mim, como para todas as pessoas com que te cruzas, tu és sempre raro, especial e indecifrável. Oh João, tu nunca saberás o quão eu gosto de ti e o quão eu sou sortuda por me teres escolhido a mim para ser o teu colo, o teu ombro, o teu sorriso. 

Somos a escolha um do outro. E é por isso que amanhã me podes perguntar porque é que eu gosto de ti. Sendo claro que a resposta será sempre a mesma: "Porque sim". 

20150906-378.jpg

20150906-302.jpg